Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Rede Palma

Sudene inicia articulação para fomentar tecnologias agrícolas

Escrito por Assessoria de Comunicação (Sudene) | Publicado: Quinta, 06 de Fevereiro de 2020, 09h48

Techpalma 2020 reuniu agentes públicos e privados para estimular o desenvolvimento de máquinas para mecanização da colheita da palma forrageira.

20200205 techpalma destaqueFoto: Assessoria de Comunicação (Sudene)Programação do Techpalma 2020 trouxe paineis temáticos e exposição sobre os potenciais econômicos do vegetal.

 A Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste promoveu a edição 2020 do Techpalma. O evento reuniu especialistas, produtores rurais e representantes de empresas do setor agromecânico na sede da instituição em Recife (PE) com o objetivo de estimular a pesquisa e o desenvolvimento de inovações tecnológicas para a mecanização da colheita da palma forrageira.

“Existe uma grande demanda dos produtores rurais por colheitadeiras que facilitem este trabalho. Sudene inicia, a partir deste evento, a articulação com instituições públicas e privadas para estimular o desenvolvimento tecnológico e disponibilizar soluções ao mercado”, explicou o coordenador substituto de estudos, pesquisas, tecnologia e inovação da Sudene, Aildo Sabino.

A programação do evento trouxe, ainda, apresentações de instituições de fomento e consultoria tecnológica para apoio às empresas que se interessarem em desenvolver a máquina.

20200205 techpalma materia foto2Foto: Assessoria de Comunicação (Sudene)A Sudene reuniu especialistas, representantes de empresas do setor agromecânico para estimular o desenvolvimento de uma colheitadeira de palma.

O evento também mostrou que além de ser uma alternativa para a dieta de animais, a palma pode ser aproveitada na produção de energia (biomassa), gastronomia, produção de corantes naturais, entre outras utilizações, apresentando-se como fator importante para o setor agroindustrial nordestino, sobretudo na região do semiárido. “A grande capacidade que a palma tem de se adaptar à semiaridez ambiental é o que determina a vantagem econômica competitiva dela em relação a outros produtos como milho e cana de açúcar”, avaliou o zootecnista e consultor Alberto Suassuna, um dos palestrantes do encontro.

A partir das discussões apresentadas no encontro de hoje, a Sudene vai apresentar um levantamento que descreva as características técnicas da máquina. A estimativa é que o documento seja disponibilizado em março.

Segundo o último censo agropecuário (2016), o Nordeste possui 100 mil hectares de área colhida do vegetal. De acordo com o levantamento, a Bahia é o estado que apresentou maior área colhida de palma forrageira, com 47.893 hectares de palma, seguida por Pernambuco (17.237 ha) e Paraíba (12.969 ha).

Confira vídeo sobre o evento:

Álbum de fotos:

05.02.2020 Techpalma 2020

Fim do conteúdo da página